Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Pai Quinzenal

O dia a dia de alguém armado em pai emprestado... semana sim, semana não.

O dia a dia de alguém armado em pai emprestado... semana sim, semana não.

19
Out14

Visões numa madrugada inesquecível


José Guimarães

Quem me conhece pessoalmente sabe que gosto de correr. De vez em quando participo numa prova e, sempre que possível, vamos juntos: eu, a mãe, a miúda e o rapaz. Mesmo que só alguns corram.

Eu e a mãe corremos e gostamos. A miúda não corre, mas faz outras coisas que gosta. O rapaz já foi a umas poucas corridas. Parece que não gosta assim tanto. Mas quando vai aplica-se e surpreende-nos a todos.

Este fim de semana fui correr à serra da Lousã. Corrida difícil, em que passamos 1/3 do tempo a pensar se é desta que não conseguimos chegar ao fim, outro 1/3 a cerrar os dentes e a impulsionar o que resta do corpo para a frente e, o 1/3 que falta, a não pensar em absolutamente nada. Confiem em mim: as dores nos músculos e as bolhas nos pés, às tantas fazem-nos pensar se valerá mesmo a pena.

Agora imaginem-se no maior desafio das vossas vidas. Depois de 22 horas a correr estão quase a terminar. E no momento final em que se estão a "arrastar" para fazer as últimas centenas de metros, o que resta da parceria entre a vossa visão turva e o cérebro bem mais lento que o normal apercebe-se de uma multidão a celebrar na linha de chegada. "Sortudo de quem é recebido assim" - pensam. E na fração de segundo que se segue a este pensamento vêem uma figura familiar no meio dessa multidão. E depois outra. E depois ainda outra. Nesse momento já não se arrastam, aproximam-se. E a multidão transforma-se em caras todas elas conhecidas. Amigos e filhos dos amigos. Mas também a mãe, a miúda e o rapaz. Nesse momento vocês já não se aproximam, flutuam. E é a flutuar que todos nós corremos. Lado a lado, até ao fim. Já sem as dores angustiantes, que os beijos, abraços e sorrisos entretanto conseguiram dissipar. Porque é este o sentimento que nos eleva acima de qualquer dificuldade. Aquele que não se vê, nem se toca, mas se sente.

3 comentários

Comentar post

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • José Guimarães

    <3

  • Anónimo

    Os filhos, na realidade, não são nossos. Nós somos...

  • mami

    mas temos de tentar ser o melhor que conseguirmos ...

  • José Guimarães

    "Errar e erguer-se"... é uma das maiores lições a ...

  • mami

    nós, país, temos de saber "largar" pois na relação...

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D